Notícias

O QUE FAZEMOS NO CERATOCONE/QUERATOCONE

2017-02-03

Hoje em dia um transplante de córnea é algo tecnicamente mais fácil que há uns anos atrás mas implica sempre uma cirurgia muito agressiva e com casos de insucesso.
Podemos então utilizar uma cirurgia menos agressiva nas fases iniciais e progressivas que consiste na colocação de um ou 2 anéis intra corneanos ( a córnea é a camada transparente central e superficial dos nossos olhos).
Mas, melhor que isso porque atua no próprio tecido anormal da córnea tornando-o mais forte, podemos aplicar um tratamento que designamos de CROSS LINKING.
Este tipo de tratamento tem a aprovação dos organismos principais que fiscalizam e verificam a eficácia de medicamentos e procedimentos cirúrgicos. Mesmo nos Estados Unidos da América o procedimento segundo a tecnologia Avedro (por nós utilizada) foi aprovado em abril do ano passado.
O tratamento consiste, de uma forma simplificada, na aplicação de gotas de riboflavina que são absorvidas pela córnea. Logo de seguida aplicamos uma luz ultravioleta que provoca uma reação na principal camada da córnea (estroma) criando aquilo a que se chama de ligações cruzadas ou CROSS LINKING. Essa ligações fortalecem a córnea e evitam que continue a ficar mais fraca e delgada que é sinónimo de ceratocone. é um tratamento com bons resultados e bastante seguro.
Podemos remover uma camada superficial da córnea (epitélio) no momento do tratamento e aplicar as gotas de seguida para uma melhor absorção dos tecidos ou, em casos menos graves e frequentes, fazer uma aplicação direta das gotas de riboflavina. A aplicação das gotas demora algum tempo e é indolor. De seguida é aplicada a luz ultravioleta também durante algum tempo e na maior tempo de forma pulsada, isto é, o paciente sente uma luz que pisca regularmente mas é também indolor.
Após a cirurgia colocamos muitas vezes uma lente de contacto terapêutica para além de gotas de antibiótico e anti-inflamatório para evitar que o paciente sinta dores e para ajudar a "curar" a parte muito superficial da córnea (epitélio) que foi removida.
O paciente é visto no dia seguinte e depois 5 a 7 dias mais tarde.
Os 1os dias poderão ser incomodativos com irritação e algumas dores mas os tratamentos pós-operatórios visam minorar essas queixas.
Raramente há complicações como infeções ou um atraso na reformação do epitélio da córnea mas esses casos serão tratados de acordo com o que puder vir a acontecer.
Já fizemos muitos tratamentos sem quaisquer complicações pós operatórias e o procedimento deve ser SEMPRE PENSADO quando estamos perante um caso de ceratocone/queratocone na nossa consulta.
O maior benefício é evitar que o paciente possa vir a ter de fazer um transplante de córnea mais tarde. Mas o tratamento de CROSS LINKING também melhora a qualidade de visão ao longo do tempo além de permitir outros procedimentos que possam conduzir a uma boa visão.
Neste momento já se estuda a possibilidade deste tratamento ser utilizado em olhos com miopia moderada para resolução da mesma com mais segurança e melhores resultados que os tratamentos laser atuais. Estes estudos estão a ser conduzidos em vários países europeus e poderemos em breve saber algo mais sobre os mesmos.

VOLTAR

NEWSLETTER
Siga-nos
facebook vimeo

© 2015. Todos os direitos reservados.
Design e desenvolvimento: LinkAge